segunda-feira, 22 de setembro de 2008

- Flora -

Óleo sobre tela - 40 x 90cm - 2006
Clique na imagem para ampliá-la
Pinturas de flores nunca foram as minhas preferidas. Tem alguns motivos que não me atraem muito e são justamente estes os filões da arte comercial, ou como dizem muitos, a arte que apela para o lado kitsch de ser. Mas acontece que há um problema sério na forma como a arte figurativa é encarada pela massa popular, que na sua maioria vêem numa pintura apenas uma bela imagem, uma peça decorativa de pendurar na parede que vai combinar direitinho com aquele sofá da sala e com aquele vaso da estante. A grande ironia é que um artista também precisa de dinheiro para comprar o seu material e garantir seu ganha-pão e então, a saída de muitos é apelar para estes motivos.

Normalmente, algumas pessoas me procuram para encomendar pinturas. Já vendi algumas dezenas de telas sem precisar morrer pra isso (morda-se de inveja, Van Gogh! rs) e sempre aparecia pedidos de rosas, copos de leite, etc, que eu fazia o possível para inventar alguma coisa bem diferente do usual e assim sair (ou fugir) da obviedade do tema. Naturalmente, os preços dos meus trabalhos são bem mais modestos (agora é a minha vez de sentir inveja de Van Gogh).

Até que um belo dia resolvi fazer uma série de telas sobre flores, mas do meu jeito. Se o povo queria flores, ía ter que prestar atenção e assim, foi uma saída bem original de pintar flores, saindo da mesmice do tema. Pra isso, pesquei um pouco da idéia básica das pinturas da norte-americana Georgia O'Keefe, que retratava suas flores de ângulos tão inusitados que mais pareciam pinturas abstratas. Partindo deste princípio, fiz a minha flor... e demorou pras pessoas entenderem o que era, o que já era esperado.

A flor da pintura é uma orquídea (eu acho... não sou muito com nomes de flores) vista bem de perto, praticamente por dentro. E pra fechar com chave de ouro, tomo como minhas as palavras de Picasso que dizia:


"Não, a pintura não é feita para decorar apartamentos. É um instrumento de guerra ofensiva e defensiva contra o inimigo"
(Pablo Picasso)


Licença Creative Commons
Flora de Eduardo Cambuí Junior é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported.

6 comentários:

  1. Amigo:
    Nessa ânsia que toma conta de mim, sem ter notícias do meu irmão que está sendo operado há seis horas, tive tempo para fazer mais um post e duvido que vc tenha visto o filme. Apareça.
    Um abraço,
    Renata
    wwwrenatacordeiro.blogspot.com
    Vc está representado

    ResponderExcluir
  2. Esse menino vai longe!
    Deixa estar, Vincent, o ruivo holandês tá te "ouvindo" de onde estiver, risosss...Mas é verdade, o artista, de uma maneira geral, começa copiando os clássicos, depois, encontram seu próprio caminho...Sabe o que vi na sua orquídea? Uma parte do busto de mulher...Uma mulher-flor ou uma flor-mulher? Adorei!
    Olha, sem briga: mas repare bem, a natureza não é tão óbvia...Bjssss

    ResponderExcluir
  3. Escuta, Sr. "Cultura Malcriada", essa é a segunda vez e última que o convido par apreciar o meu post, onde vc está representado. Nunca vi um artista ter tão pouco apreço pela própria obra. O que vi neste post foi muito divertido.
    Um beijo,
    Renata
    wwwrenatacordeiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Picasso e tua obra, lindo post
    Beijos,
    Cris

    ResponderExcluir
  5. Meu amigo:
    Fiz novo post porque as coisas melhorara e muito E ouso dizer que é o melhor post que já fiz. Vc está representado. Não deixe de ir.
    Um beijo,
    Renata
    wwwrenatacordeiro.blogspot.com
    Vou colar o mesmo recado no outro Blog, ok?

    ResponderExcluir
  6. Interessante este olhar diferente, chega quase ao monocromático.
    E pensando bem, Teo é que tinha que aguentar as pirações do irmão, que ao invés de pintar algumas flores, pelo menos pra não passar fome, resolveu distorcer as paisagens.

    Abraços.

    ResponderExcluir

Seu comentário será sempre bem-vindo. Assim que for possível, eu retorno!