quinta-feira, 23 de abril de 2009

- Cena de Rua -

Giz pastel - Tamanho A4 - 2007/2008 (?)

Como já havia dito em outras oportunidades aqui, o período de 2007 / 2008 foi muito estranho pra mim, artísticamente, por conta da queda de produção de pinturas. Geralmente acontece de haver determinados períodos em que a inspiração (leia-se "vontade de fazer") parece acordar junto com a gente e ficar ali do lado até a hora de ir dormir... mas nessa época a regra falhou. Pra driblar este marasmo então, resolvi me aventurar com outros materiais dos quais eu ainda não tinha utilizado, como foi com o giz pastel oleoso. Este desenho foi um dos que foram feitos nesta série e talvez, tenha sido o que saiu melhor, pois a partir dele, eu comecei a entender melhor como "funcionava" o bendito material.



É mais do que normal que tenhamos que fazer alguns trabalhos até chegarmos num resultado desejado (ou próximo dele) ao utilizar algum material que ainda não tinhamos experimentado. Comigo na pintura a óleo aconteceu assim também. Como eu sempre desenhei, num determinado momento da adolescência deu certo pra mim entrar na tão falada "escola de desenho". E aconteceu comigo no início dos anos 90 através da Graphis - Escola de Desenho, sob a direção do ex-ilustrador da Revista Quatro Rodas nos anos 60, o espanhol Luiz Huertas. A escola era ótima e o melhor era o convívio com outros desenhistas. O problema é que os hormônios em fúria da adolescência e a lucidez em reconhecer a importância de aproveitar aquele momento nem sempre andaram no mesmo passo e com isso, deixei de aproveitar muita coisa. Depois de uns 2 anos na escola, não dei mais continuidade!

Até que surgiu o inusitado no meio do caminho e meu pai teve a ótima idéia de comprar umas telas em branco, as cores básicas de tintas (a óleo), pincéis, solvente e terebintina... o pequeno detalhe é que eu nunca tinha mexido com aquilo! O vendedor da loja ainda deu uma explicação simples pra ele de como mexer com aquilo tudo. É claro que não aliviou muita coisa e na empolgação do presente, resolvi encarar aquele material todo e pintar. O resultado (que pode ser visto ao lado) inicialmente me agradou... afinal, era a primeira vez! A pintura que tinha agradado mudou de julgamento radicalmente quando eu pendurei a tela (sem perceber, é claro), ao lado de uma pintura linda que tinha em casa, no estilo impressionista, onde de perto só vemos borrões, mas que distante se transforma numa paisagem imponente. Daí foi um pulo o "genial" se tornar uma "merda" apenas numa breve olhada mais para o lado... mais tarde, acabei me vingando da experiência ruim e pintando outra coisa por cima! Precisei de algumas telas até conseguir pintar algo exatamente do mesmo jeito que eu estava imaginando. O mesmo aconteceu com o giz pastel oleoso. Precisei de algumas experiências até alcançar a imagem que estava "dançando" na minha mente.

Pra cena deste post, fiz duas pessoas desconhecidas andando numa rua qualquer durante o dia. A posição dos personagens dá uma sensação legal de profundidade e a expressão mostra bem o clima de rotina, mesmo com toda a beleza do ambiente ao redor. A rotina tem esse poder... o de deixar invísivel a beleza que nos cerca. A rua foi inventada, mas poderia muito bem ser algumas de determinados pontos da cidade de Macaúbas. Os personagens também foram inventados, mesmo com algumas pessoas ainda insistindo na idéia que eu me retratei no desenho, ainda que eu não encontre essa tal semelhança... mesmo que eu me empenhe em criar personagens diferentes, é comum as pessoas insistirem em me reconhecer nos personagens que faço!

A partir deste desenho, outros que foram feitos com o mesmo material saíram muito melhores (alguns já podem ser vistos aqui mesmo, em posts anteriores) no momento em que "decifrei" a forma ideal de utilizar.


Licença Creative Commons
Cena de Rua de Eduardo Cambuí Junior é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported.

9 comentários:

  1. Oi Edu, passei 1 semana "fora do ar", pq a memória do computador pediu arrego e pifou!bib, bip,bip... Fazer o quê, né?
    Olha só: embora não te conheça,logo
    que vi a imagem deste rapaz, associei a ti! Dizem que tanto os escritores,os poetas e os pintores,sempre colocam uma parte sua na obra que produzem.Acho isso perfeitamente natural,por que não?A expressão dele está muito boa e, diga-se de passagem,é um cara bastante simpático...eh,eh,eh.bjão

    ResponderExcluir
  2. Adorei estes desenhos; o trabalho de pormenor ao nível dos enquadramentos é impressionante. E... futebol, é futebol, apesar de já ser mkais negócio do que futebol e ter perdido muito do espectáculo e magia que tinha. Implica muito dinheiro; então... Tudo de bom.

    ResponderExcluir
  3. Mais um belíssimo trabalho, Edu. Você está sempre me surpreendendo. Espero que me retrate bonita.
    Amigo, voltei hoje, e como vou participar da Blogagem Coletiva - O Filme da Minha Vida, que se dará nos dias 29 e 30 deste mês, dias estes em que estarei em tratamento, já publiquei o post no Galeria (só o filme, sem flores) e gostaria que você fosse lá e me desse uma força.
    Um beijo,
    Renata

    ResponderExcluir
  4. Respondendo:Cirandeira: Pois é... a gente acaba "se colocando" um pouco no trabalho mesmo, mas é algo totalmente inconsciente, o que acontece com todos dos que você citou mesmo. Bjão!

    Poematar: E aí, minha cara! Talvez os desenhos e pinturas fossem se tornassem mais interessantes se as pessoas percebessem os pequenos detalhes mesmo. Valeu pelas palavras... Bjão!

    Renata: Oláá!!! Tenho alguns bons trabalhos ainda aqui guardados que aos poucos vou colocando. Quanto ao seu retrato, em breve estará no jeito. Vou passar por lá! Bjão!

    ResponderExcluir
  5. Oi! Gostei muito da tua "mulher cubista" lá de trás e a queria usar no meu blog para materializar um poema de Adélia Prado. Queria pedir sua autorização e, se concedida, o seu nome para os devidos créditos.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  6. Respondendo:

    Oxum: Obrigado! Pode pegar sim... o nome é Eduardo Cambuí Jr.
    Bjão!

    ResponderExcluir
  7. Tua arte é encantadora. È muito bonito como vc usa as cores.
    Abraços,
    Cris

    ResponderExcluir
  8. Uma aula de quem realmente sabe o que faz e como faz.
    Sou admiradora da sua Arte, Edu!
    Parabéns!!!Bjsss

    ResponderExcluir
  9. Edu, meu amigo:
    Estão barbarizando quase todos os meus Blogs. Do Galeria, roubaram as postagens antigas que, além de ficarem arquivadas, salvo como rascunho. Todos os rscunhos foram roubados. Pus uma Notificação em cada Blog atingido e gostaria que vc fosse pelo menos ao Galeria dar-me uma força.
    Um beijo,
    Renata

    ResponderExcluir

Seu comentário será sempre bem-vindo. Assim que for possível, eu retorno!