quarta-feira, 2 de setembro de 2009

- O Homem Invisível -

Óleo sobre tela – 70x50 cm - 2003

Algumas vezes, a idéia de uma pintura vem das formas mais inusitadas possíveis, de fontes nem sempre corriqueiras. Tem momentos em que a idéia de uma pintura vem de um "insight" numa tarde qualquer em que vêmos uma cena promissora, de um momento em que nos sentimos excluídos em um ambiente, na tranquilidade de uma paisagem, enfim, de diversas fontes. A pintura de hoje tem uma história muito curiosa e surgiu de uma inspiração inusitada!



Numa tarde, eu adormeci no sofá da sala de casa e tive um sonho meio estranho: sonhei que sentia a presença de alguém atrás de mim (no sonho eu também estava dormindo no sofá), mas quando eu me virava para ver, não tinha ninguém. Continuei sentindo a presença até que me virei de repente e consegui pegar no pescoço de alguém e quando eu me virava para ver quem era, não via ninguém, mas via que estava segurando algo, como um pescoço de alguém. Então percebi uma “pessoa” transparente, pois naquele momento, observando com mais atenção eu via a silhueta do corpo, como se fosse feita de um vidro muito transparente… tentei então apertar o pescoço “daquilo” pra fazê-lo desmaiar sem ar, mas aos poucos fui perdendo a força, até que acordei... Um sonho muito louco!!!

Assim que acordei, logicamente achei o sonho super interessante e quase automaticamente eu pensei o quão legal seria fazer um quadro sobre isso. Na tela, usei como modelo a sala de um apartamento em que eu morei em São Paulo. Na pintura, uma sala iluminada pela luz de outro ambiente fica em evidência, mas um homem transparente está bem em frente, só que e preciso um pouco de atenção para encontrá-lo, algumas vezes sendo mais fácil se observado contra a luz (por isso das fotos da pintura por outros ângulos). O resultado ficou muito bom, inclusive com relação aos efeitos usados na pintura, que ficaram muito bons. Talvez em algumas partes o resultado final tenha ficado um pouco abaixo do que eu esperava, mas em compensação, em outras partes da pintura, ficou bem além do que eu esperava.

Esboço da pintura

Esta tela fez muito sucesso com o público local, principalmente na exposição coletiva "II Semana de Artes de Macaúbas"… aconteceu de pessoas que visitaram três ou mais vezes só pra ver esse quadro porque algumas não conseguiam “ver” o tal homem invisível da primeira vez que visitavam. Foi muito bom ver essa interação do público com o trabalho. Este tipo de trabalho faz com que as pessoas prestem mais atenção na pintura, o que é ótimo também.


Licença Creative Commons
O Homem Invisível de Eduardo Cambuí Junior é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported.

9 comentários:

  1. Olá Eduardo,
    simplesmente uma bela sincronização, amei a sutileza do homem de vidro ou invisível.
    Belíssimo trabalho, divina luz.
    Beijos,
    Cris

    ResponderExcluir
  2. Nossa Edu, incrível essa sua obra. Primeiro, porque vc deve ter morado onde eu moro, a entrada é idêntica. Segundo, já lhe falei do meu diabetes que me afetou a visão e já pulei, em 2 meses, dos 7 para os 9 graus. E como uso lentes ou óculos multifocais, vejo tudo em 3 D, o que é ótimo, pois o mundo é em 3 D. E vejo muita coisa em tudo. Vi e vejo muita coisa na sua obra, espelhos, sombras, e, por um instante, uma silhueta, que tentei rever, mas como acabo de chegar do médico, não consigo. Mas voltarei. Isso é lindo. Parabéns por mais este trabalho, Artista!
    Beijos,

    ResponderExcluir
  3. Oi Edu, és muito bom em perspectiva TAMBÉM, não é? E "brincas" com as luzes e sombras!Achei muito interessante a beleza que conseguiste transmitir através do "jogo" de luz e sombra.Parabéns!
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Respondendo:

    Cris: Olá!! Obrigado pelos elogios. No começo pensei em fazer o homem mais em evidência, mas depois mudei de idéia porque assim eu "forçaria" as pessoas a prestarem mais atenção para encontrá-lo. Mas valeu a pena! Bjão!

    Renata: Seria uma coincidência incrível!!!! Esse apartamento é no Bairro do Tatuapé, bem perto do metrô Carrão. A silhueta é bem suave mesmo, com o contorno em branco, mas esfumaçado. Infelizmente, por foto fica um pouco mais difícil de ver, mas dá pra perceber um pouco. Bjão!

    Cirandeira: A perspectiva desse trabalho ficou muito boa também e talvez este tenha sido um dos atrativos no trabalho, pois quem não vê de cara o homem, vê a luz e a sombra da iluminação. Quando acabei o trabalho, fiquei numa felicidade tamanha por ter conseguido alcançar o que eu queria!!! Valeu! Bjão!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Edu! Esta obra ainda me intriga. Assistiu ao filme "A Bela Intrigante", em que a questão é justamente a bela mulher que posa para um quadro, bem como as implicações entre o modelo, o artista e a obra? Excelente filme, mas acho que a sua praia não é muito européia, é mais norte-americana, e lhe dou razão. São filmes mais atraentes, em aparência "menos cerebrais". Sinto-me honrada pelo fato de vc estar acompanhando, atentamente, as minhas postagens. Mas sabe que me canso muito? Resenhar um filme por dia, e agora tudo é motivo para um texto pessoal em anexo, fazer 2 poemas e ainda encontrar um poeta desconhecido é demais. Ontem, tive mais uma grata surpresa. Fui presenteada com um poema que publiquei. Talvez não publique mais em meu Blog pessoal hj, só no coletivo, assim descanso.
    Obrigada pelas gentis visitas e pelos comentários!
    Meu abraço e meu sorriso em seu coração,

    ResponderExcluir
  6. Parábens pela obra!
    Muito bonita.
    Acho muito interessante a arte trabalhar com a idéia de ver o mundo em diferentes pontos de vista. Analisar a vida sob perspectivas diferentes é muito importante.
    Sucessos!
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Olá Eduardo, tô chegando por aqui, devagarzinho,
    espreitando, vislumbrando as frestas de luz e sombra...muito bom o teu trabalho. Parabéns! Acho que vou "esconder-me atrás da porta", pra ver o que vais nos mostrar no próximo post (rrss)
    Bj

    ResponderExcluir
  8. Respondendo:

    Renata: Oi Rê! Não tenho preconceitos com filmes europeus não... vejo de tudo. Na verdade, a gente acaba vendo mais os de hollywood porque são muitos e bem melhor divulgados. Já vi um monte do Almodovar, do Antonioni, Jean Luc Besson, enfim... não tenho nada contra eles! Sobre os blogs, é uma coisa curiosa... quase sempre não ganhamos nada (com muita sorte, uns centavos de dólar com o resultado do adsense do google), mas é tão legal. No final, o que vale é o reconhecimento do pessoal que de alguma forma se identifica com o que a gente faz. Bjão!!!

    Marisa: Obrigado pelas palavras e pela visita! O barato da arte é justamente estimular essa percepção diferente das coisas. Até!!!

    Giramundo: E aí, mulher!!! Então... daqui a pouco tem novidade aqui, seguindo a mesma linha de "loucura"! Obrigado! Bjão!!!

    ResponderExcluir
  9. obrigada pelas palavras!! vc sabe escolhê-las!!
    e parabéns mais uma vez pelo seu trabalho.
    beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário será sempre bem-vindo. Assim que for possível, eu retorno!