quarta-feira, 7 de outubro de 2009

- Criança no parque com o pai -

Giz de cera - tamanho A4 - 2006 (?)
Uma relação saudável entre pai e filho é algo muito bonito e infelizmente, menos corriqueira do que deveria ser. É curioso ver o filho que enxerga no pai um super herói que é capaz das coisas mais incríveis, que nem sempre são lá muito anormais, como também é curioso o comportamento do pai que se transforma por uns instantes numa criança mais velha, tudo para acompanhar a energia ilimitada daquele pequeno rebento. O desenho deste post é uma espécie de ode a este tipo de relação.


O desenho em giz de cera foi baseado numa foto antiga minha quando criança com o meu pai, no parque do Ibirapuera, destino comum nos nossos fins de semana. O desenho é bem simples, sem grandes detalhes, mas eu acho que a expressão dele foi muito bem sucedida (modéstia a parte, é claro), pois nem é preciso de um título ou de uma legenda para saber que se trata de um filho com o pai, acredito eu. A criança, personagem principal do desenho, é evidenciada pelas cores quentes da sua roupa, enquanto o pai só observa, num segundo plano. Outro detalhe que gosto de incluir nos meus desenhos e pinturas são objetos ou personagens cortados, como acontece neste aqui com a árvore, que é uma forma de mostrar que há algo além dos limites do papel, da tela, etc.

O desenho acabou servindo mais tarde como esboço para uma parte do mural da praça Francisco José Pereira, em Macaúbas, onde a maior parte dos artistas locais ajudou na decoração. O desenho parecia na época um tema perfeito para uma praça, já que tratava de uma situação que supostamente deveria ocorrer numa praça., que é o pai levar o filho para brincar. Com o tempo, a praça acabou ficando mais conhecida na cidade como praça das pinturas, mas a administração municipal cometeu alguns equívocos como não proteger a pintura a tempo com alguma resina, verniz ou algo do tipo. Com a alta incidência solar que temos aqui, não demorou muito para as cores desbotarem... na foto abaixo, a pintura ainda estava resistindo bem.

Pintura do mural da Praça Francisco José Pereira, em Macaúbas / BA

Outro ponto ruim da praça foi a falta de sombras, o que tornava inviável a visitação do povo durante o dia, este último corrigido uns anos depois. Tivemos algumas propostas para a restauração da pintura neste ano, mas não aconteceu por uma coincidência de datas com outros compromissos, mas acredito que no futuro ela deverá ser refeita da forma adequada.


Licença Creative Commons
Criança no Parque com o Pai de Eduardo Cambuí Junior é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported.

6 comentários:

  1. Muito bom, Edu. Parabéns por mais essa pintura, tão rica em detalhes...
    Bjão

    ResponderExcluir
  2. Amigo,
    Bom dia!
    Uma relação harmoniosa entre pai e filho, sem querer fazer jogo de palavras - mas já fazendo - não precisa de sombra e não desbota jamais. Você tem estilo e conhece muito bem o seu ofício.
    Um domingo bem gostoso aí, na bela Macaúbas!!!Bjsss

    ResponderExcluir
  3. Olá, querido amigo!
    Antes de mais nada, eu gostaria, de agradecer pelo lindo presente que me foi enviado, e já ornamenta a sala do meu apartamento, ou seja, o meu retrato que, magistral e gentilmente, o Artista Eduardo Cambuí Jr. fez. Muito obrigada. Agora, vamos a mais uma obra sua. Se não me falha a memória, acho que já a conheço e já a publiquei nos velhos e excelentes tempos do GALERIA. Vou verificar, pois não fechei o GALERIA, todos os dias o abro, faz parte do meu ritual. Porém, voltemos... qualquer obra, ainda mais sendo a de um verdadeiro Artista, como a sua, que retrate a relação pai-filho/filho-pai é belíssima e, por si só, já teria o seu devido mérito. Mas quando, quem retrata a obra da própria vida, a obra se torna a vida da própria obra e, por isso, merece, duplamente, o epíteto de OBRA-PRIMA-DO-ARTISTA-DA-VIDA. E merece, sim, figurar em praça-pública, com muito orgulho.
    Mais uma vez, agradeço-lhe pelo retrato e pelas sempre e agradáveis visitas que o Edú faz aos meus blogs.
    Deixo-lhe o meu Bom Dia e um beijo,

    PSIU: A propósito, já recebeu o meu presente? E quando vai publicar o meu retrato aqui?

    ResponderExcluir
  4. oi Edu,

    Achei legal!- não é pasteurizado,tem emoção,coraçãozinho de criança.
    A simplicidade dos traços revela singeleza,poesia.
    No blog www.tatuicidadeternura.blogspot.com
    falo sobre o Projeto Livro de Rua que realizei aqui em Tatuí e também não foi prsservado.Enfim,estou pronta para desenvolver outra vez o projeto.A tinta desbota mas o coração não empalidece.

    Com carinho,

    Cris

    PS-e no cristinasiqueira tem desejos...

    ResponderExcluir
  5. Olá Edu,
    Belíssimo painel, colocaste simplesmente o puro sentimento entre pai e filho.
    Parabéns,
    Cris

    ResponderExcluir
  6. Já comentei, Edu. Mas nunca é demais ficar curtindo seu trabalho artístico e mais, sempre abordando o cotidiano e relações familares prenhes de afetividade.
    Boa semana, amigo!!!Bjsss

    ResponderExcluir

Seu comentário será sempre bem-vindo. Assim que for possível, eu retorno!