quarta-feira, 12 de maio de 2010

- Cena de Campo -

Giz de cera - Tamanho A4 - 2006 (?)
Para ampliar, clique na imagem
Como eu já tinha comentado aqui em outras oportunidades, sempre achei que o desenho com giz de cera (e o giz pastel também) era uma ótima forma de esboço para uma pintura, além de ser um bom exercício para os iniciantes entenderem melhor como funciona a mistura das cores, antes de partir para a tela. O desenho de hoje é um dos meus esboços para uma possível futura pintura, que neste caso nunca aconteceu. A decisão de não passar pra tela veio depois de analisar direito o desenho... percebi que era muito simples e não achei que ficaria tão legal. É claro que esta decisão não é definitiva e pode ser que pra frente eu ainda pinte este desenho, se eu encontrar uma forma mais de acordo com o que eu tinha pensado no início.


O desenho mostra um campo florido, com grama alta e uma árvore de tronco retorcido, feitos de uma forma que crie uma sensação de movimento. A idéia na época era partir pra uma pintura no estilo das de Vincent Van Gogh, que conseguia expressar muito bem esse movimento através das suas pinceladas carregadas.

A árvore do desenho foi levemente inspirada em uma pintura do pintor Claude Monet (que pode ser vista abaixo). A idéia no começo foi de uma pintura com essa sensação de movimento, além de buscar também a profundidade na cena, explorada através das flores e da árvore. Por enquanto, o esboço está guardado para quando surja a ideia de como explorar melhor cada parte para conseguir alcançar o objetivo pensado inicialmente.


Crédito das imagens: Google Imagens


Licença Creative Commons
Cena de Campo de Eduardo Cambuí Junior é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported.

3 comentários:

  1. Já mudou? E não sei qual é a mais Bela. Nesta, há o detalhe das flores amarelas, que muito aprecio. Muito bonita a *Cena de Campo*, a sua inspiração, bem como a narrativa do Artista.
    A ti, Edú, o meu beijo e a minha amizade, sem a qual eu não seria por inteiro.

    *Uma onda irrompe raivosa no rochedo, quebra-se toda
    em violenta espumarada branca, sibilante,
    e ricocheteia, recolhendo o fôlego, irada, frustrada –
    que belo!

    Espuma do Mar
    D. H Lawrence*
    Trad. da Renata


    Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  2. Ultimamente andas um pouco telúrico, não é?
    Essa árvore me dá uma vontade de sentar-me à
    sombra dela...gosto muito de árvores, e essa está
    muito bonita!

    Beijão

    ResponderExcluir
  3. olá, meu malcriado amigo...

    excelente blog, excelentes criações...
    parabéns...
    beijos em seu coração...

    ResponderExcluir

Seu comentário será sempre bem-vindo. Assim que for possível, eu retorno!