quarta-feira, 31 de agosto de 2011

- Circo da Vida (homem-bala) -

Desenho à Bico de Pena - Tamanho A5 - 2010
Para ampliar, clique na imagem

Como eu já havia comentado na postagem "O Tempo", há algum tempo eu tive a idéia de fazer um livro de poesias com imagens que ilustravam o que havia sido escrito e que, por enquanto, está esperando uma boa oportunidade para ser lançado.


Foram feitos diversos desenhos para este livro, utilizando na maior parte a tinta nanquim através do bico de pena. O texto é bem antigo (da época da adolescência) e não foi muito difícil achar algo que o ilustrasse melhor do que um homem-bala... o difícil mesmo foi achar um modelo! Aí foi preciso recorrer ao velho google da vida para achar imagens que pudessem servir como referência. Uma bela saída para estes casos em que falta uma referência, é ter um livro showcase de ilustração (livro grosso com centenas de páginas com os mais diferentes tipos de imagens e fotos, geralmente utilizado por ilustradores) ou até mesmo um boneco manequim articulado de desenho, que sempre é muito útil.

Trabalhar com bico de pena é muito gostoso, apesar da chatice que é a necessidade de ficar recarregando sempre a tinta, o que faz muitos optarem por utilizar a caneta técnica. É claro que um bico de pena de qualidade torna o trabalho ainda mais prazeroso. A possibilidade de brincar com sombreados tracejados ou por hachuras é um prato cheio para quem gosta dos desenhos de histórias em quadrinhos.

Voltando a questão do livro ("Isto!" é o nome), como não foi lançado ainda (e espero que eu consiga um dia), não vou mais publicar os desenhos/textos dele por aqui, senão, vai acabar virando um e-book. Segue abaixo o texto:


Circo da Vida

Quando o canhão dispara
Explode os pensamentos
E é cuspido o homem-bala
Chutado como uma bola,
Jogado como uma mala,
Ejaculado bem pra longe
Rasgando a grande lona
Do imenso circo da vida.
E o show não pode parar
Mesmo se no espetáculo
Vamos atuando incertos
Do nosso verdadeiro papel.
E o show começa agora!
E lá vai o homem-bala…
Como tiro de espingarda!
Voa longe o homem alado
Disparado, rumo ao alvo.


Licença Creative Commons
Circo da Vida (homem-bala) de Eduardo Cambuí Junior é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported.

5 comentários:

  1. Puxa vida!, Edu, por que demoraste tanto tempo para nos mostrar esse teu trabalho? Ah, tá bom, queres publicá-lo em livro, tudo bem. Mas ainda acho que uma coisa não exclui a outra, né não?
    E que adolescência, hein? Precocidade...:)
    Muito bom o teu trabalho: o desenho e o poema.
    PARABÉNS!!!

    Um beijão

    ResponderExcluir
  2. Edu, bico de pena é um barato!
    Lembro-me dos tempos de antanho (gostou?rs) quando eu fazia meus trabalhos de escola desse jeito, com tinta nanquim (ainda existe?).
    Mas lance seu livro, sim. Vai ser um sucesso, aposto!
    Legal...
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Ahhh, no circo da vida todos nós somos cuspidos num mundo só de incertezas...amei!

    ResponderExcluir
  4. Respondendo:

    Cirandeira: E aí, minha cara! Então... tô pensando aqui com os meus botões em colocar só os desenhos mesmo. Tem um bocado! Valeu pelas palavras (e pela dica). Bjo

    Vanuza: Pois então... será que nas escolas ainda colocam os alunos para desenhar com bico de pena? Sobre a tinta nanquim, você sabia que ela é a tinta mais antiga que existe? Invenção dos chineses, há mais de 3 mil anos! Faltou até eu colocar isso no post, mas desconfio que já tinha comentado aqui antes.
    Bjo!

    ResponderExcluir
  5. Poderia me passar o seu e-mail ou rede social? Gostaria de fazer umas perguntas!

    ResponderExcluir

Seu comentário será sempre bem-vindo. Assim que for possível, eu retorno!