quinta-feira, 6 de outubro de 2011

- Elis Regina -

Acrílico sobre disco vinil - 30 x 30 cm - 2011
Para ampliar, clique na imagem

Ainda hoje, há muitas pessoas que acreditam piamente no estereótipo do artista plástico que só consegue ficar famoso depois de morto, sem colher os louros da fama e com o seu trabalho valendo fortunas... provavelmente este pensamento seja uma contribuição da marcante história da vida do holandês Vincent Van Gogh, que causou uma impressão tão forte que grudou no imaginário popular. De fato, não é fácil (ainda mais no Brasil) um artista viver bem da sua própria arte, mas isso não quer dizer que seja impossível... e as coisas tem mudado bastante no país nos últimos anos! A saída para o artista brasileiro hoje tem sido partir para concorrer nos editais que bancos, fundações e outras instituições destinam à cultura, ou buscar uma galeria séria nos grandes centros para mostrar as suas produções.

A pintura de hoje é fruto de um projeto que venho trabalhando há alguns meses e que tenho inscrito nos editais que surgem (por enquanto, apenas tentativas frustradas), nesta concorrida disputa que é o mundo da arte. Foram feitos diversos retratos de personalidades ímpares da música nacional e internacional, utilizando sempre o disco de vinil (o bom e velho LP), percorrendo assim diversos estilos musicais diferentes. A escolhida de hoje é a cantora Elis Regina, talvez a melhor intérprete da música brasileira.


Foto de Lucas Figueiredo Baisch
A pintura é claramente inspirada nos retratos pop-art de Andy Warhol, afinal, talvez a música seja a mais pop das artes. Há também uma pequena influencia do brasileiro Vik Muniz, se considerarmos a utilização do material peculiar que é este. A escolha desse material (o LP) foi muito boa, afinal, o que tem mais ligação com a música do que o material escolhido? O potencial da exposição, que muito provavelmente será realizada (com o pontapé inicial aqui na pequena Macaúbas), é bem amplo, pois o motivo é de grande apelo.

Foto de Lucas Figueiredo Baisch
De início, publicar este trabalho aqui foi uma decisão complicada. Estava com esperanças de fazê-lo apenas depois de aprovado em algum edital, mas há poucos dias descobri que utilizar o LP como material em arte não é assim tão inédito (que ilusão a minha!) e já existem trabalhos similares, ainda que um pouco diferentes... então o melhor era publicar logo de uma vez! Outro detalhe que deve ser esclarecido, antes que os amantes do LP infartem ao vê-los pintados: os discos que utilizei foram de antigos cursos de inglês, infantis, etc. Tive o cuidado de não cometer a heresia de usar, por exemplo, um LP da própria Elis Regina para pintá-la de um  dos lados.

Enquanto isso, vou tentando via-editais conseguir inserir estes trabalhos no circuito, competindo com os tantos bons artistas que surgem a cada dia. Mas, como diria aquele batidíssimo (e sábio) ditado popular: água mole em pedra dura tanto bate até que fura!!


Licença Creative Commons
Elis Regina de Eduardo Cambuí Junior é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported.

3 comentários:

  1. PARABÉNS!, Edu. A tarefa é árdua, mas acho que vale a pena, teu trabalho está muito bom!

    bjão

    ResponderExcluir
  2. Faaaaaaaaaaala, El MalCriado!
    Meu amigo, sendo inédito, ou não, seu trabalho é de primeiríssima. Vejo as referências aos mestres Warhol e Muniz desse certo modo: são referências - com justa reverência, diria. O que é criado como se inédito fosse, assim o é, mesmo que digam o contrário. E na história da Arte também vale o que disse o Pasteur, que tudo se transforma - da mesma forma que fizeram os músicos retratados e tantos e tantos artistas antes deles.
    Fico aqui torcendo para que seus trabalhos sejam aprovados e, principalmente, que sejam mostrados ao público - e que o início seja em Macaúbas!
    Aquele abraço!
    ML

    ResponderExcluir
  3. Que aula, meu mestre querido!
    Olha, sou vidrada em discos de vinil e tenho uma coleçãozinha razoável.
    Nem posso comentar teu Trabalho, Edu. Não possuo capacidade para tanto, mas desejo-te, e o faço de coração, que continues trilhando tua senda artística e colhendo os frutos da tua luta.
    Parabéns, amigo querido!
    Uma linda quarta-feira...

    ResponderExcluir

Seu comentário será sempre bem-vindo. Assim que for possível, eu retorno!