terça-feira, 13 de dezembro de 2011

- Yeshua -

Antes de começar o post de hoje, agradeço a visita de todos que passam aqui no Arte por Parte, seja regularmente ou às vezes, e aproveito a oportunidade para deixar os meus votos de um Feliz Natal para todos! E coincidentemente, já que estamos falando de natal...

Acrílico sobre tela - 80 x 60cm - 2011
Para ampliar, clique na imagem
A história da pintura por muito tempo esteve estreitamente ligada à religião. Na idade média, onde a maioria da população era analfabeta, as iluminuras com as passagens bíblicas catequizavam visualmente os fiéis... houve grandes pintores dentro da própria igreja, como é o caso, por exemplo, de Fra Angelico e Fra Felippo Lippi (tudo bem que este último acabou fugindo do convento com uma freira!). Também houve épocas em que era obrigatório pintar temas religiosos (ou mitológicos). Hoje, obviamente, os tempos são outros, os costumes e a mentalidade das pessoas também são outras e a pintura é completamente diferente do que era. Hoje o artista pinta o que imagina, o que se sente, o que está preso dentro de si, e até mesmo, nem pinta... usa outros tipos de materiais para expressar sua ideia. Como já disse inúmeras vezes por aqui, a minha praia é mesmo a pintura figurativa, do velho jeito tradicional. Como já devem ter notado, a pintura de hoje é sobre Jesus.
Fra Filippo Lippi - Funeral de São Jerônimo (detalhe)

Falar de religião é sempre um tema muito delicado de tratar, ainda mais por se tratar de um assunto polêmico, que é sobre qual seria a aparência de Jesus. Apesar de passar longe de ser um cara religioso e não concordar com muita coisa das igrejas, acredito que Deus exista. Não imagino que Ele seja como uma personalidade com traços humanos... acho que está mais para uma força que foge de nossa compreensão. Como eu costumo ter opiniões que fogem um pouco do lugar comum da maioria das pessoas, tive muito cuidado na hora de planejar como seria feita esta pintura. Decidi que faria um retrato de Jesus, misturando um pouco de história e dos períodos artísticos, como o gótico, por exemplo. Antes de entrar nos detalhes, peço perdão aos leitores pelo tamanho do texto deste post, mas é um assunto longo mesmo.

Van Eyck - Jesus verdadeiro
A história já entra desde o título da obra (Yeshua), que é 'Jesus' em aramaico (ou hebraico). Muitos se questionam sobre como era aparência dele. Afinal, será que um nativo do oriente médio teria mesmo olhos claros e pele clara, entre outras características incompatíveis com a média da população local? Muito pouco se sabe da figura de Jesus fora dos textos da bíblia... o chamado Jesus histórico. E quem garante que, em períodos conturbados em que a igreja estava acima dos governos, os textos da bíblia não foram mudados por conveniência, para garantir o seu poder incontestável? Quem garante que as traduções foram feitas corretamente? Viajando um pouco na imaginação, e se Jesus tivesse sido mulher e sua imagem tivesse sido transformada em homem por conta dos costumes da época? Mas voltando ao mundo real, historicamente houve 8 citações do mesmo período que citam Jesus, um deles do historiador Flávio Josephus (século I). Encontrei também por aí um relato de como seria sua aparência. No começo, fiquei em dúvida sobre a veracidade deste texto, até que encontrei um retrato de Cristo com uma característica marcante numa pintura do artista flamenco Jan Van Eyck (1335 - 1441), e então decidi levá-la em conta. É claro que isto não é prova de veracidade, mas se mostra como um texto muito antigo e conhecido na época. O tal texto supostamente é de Públio Lêntulo (que governou a Judéia antes de Pôncio Pilatos), endereçada ao Senado sobre o nazareno. No texto diz:

"Apareceu nestes nossos dias um homem, da nação Judia, de grande virtude, chamado Yeshua, que ainda vive entre nós, que pelos Gentios é aceito como um profeta de verdade, mas os seus próprios discípulos chamam-lhe o Filho de Deus - Ele ressuscita o morto e cura toda a sorte de doenças. Um homem de estatura um pouco alta, e gracioso, com semblante muito reverente, e os que o vêem podem amá-lo e temê-lo; seu cabelo é castanho, cheio, liso até as orelhas, ondulado até os ombros onde é mais claro. No meio da cabeça os cabelos são divididos, conforme o costume dos Nazarenos. A testa é lisa e delicada; a face sem manchas ou rugas, e avermelhada; o nariz e a boca não podem ser repreendidos; a barba é espessa, da cor dos cabelos, não muito longa, mas bifurcada; a aparência é inocente e madura; seus olhos são acinzentados, claros, e espertos - reprovando a hipocrisia, ele é terrível; admoestando, é cortês e justo; conversando é agradável, com seriedade. Não se pode lembrar de alguém tê-lo visto rir, mas muitos o viram lamentar. A proporção do corpo é mais que excelente; suas mãos e braços são delicados ao ver. Falando, é muito temperado, modesto, e sábio. Um homem, pela sua beleza singular, ultrapassa os filhos dos homens".

Flavius Josephus
E como citei anteriormente, encontrei também o texto do historiador Flávio Josephus, extraído dos seus textos entitulados "Antigüidades dos Judeus", Livro 18, Capítulo 2, seção 3:

"Agora havia sobre este tempo Jesus, um homem sábio, se for legal chamá-lo um homem; porque ele era um feitor de trabalhos maravilhosos, professor de tais homens que recebem a verdade com prazer. Ele atraiu para si ambos, muitos judeus e muitos Gentios. Ele era o Cristo. E quando Pilatos, à sugestão dos principais homens entre nós, o tinha condenado à cruz, esses que o amaram primeiramente não o abandonaram; pois ele lhes apareceu vivo novamente no terceiro dia, como os profetas divinos tinham predito estas e dez mil outras coisas maravilhosas relativas a ele. E a tribo de cristãos, assim denominada por ele, não está extinta neste dia".


Simone Martini - Cristo aparece para S. Mateus (detalhe)
Pronto... eu já tinha uma linha-guia para seguir no que se refere à aparência, ainda que eu já tivesse rabiscado o seu rosto na tela. Das características mencionadas, achei melhor deixar de lado a característica da barba bifurcada, pois, convenhamos, é muito estranho. Em grande parte da pintura gótica, as figuras bíblicas eram retratadas com um arco dourado sobre suas cabeças. As pinturas geralmente eram feitas sobre madeira, com estes arcos sendo talhados. Sempre achei essas figuras muito bonitas, talvez pela cor destacada destes arcos nas cabeças dos santos e anjos, e então resolvi que o meu Jesus seria feito desta forma. Sem me prender às características daquele período, fiz a pintura, logicamente, seguindo minhas próprias características. Como forma de referência, levei em conta as pinturas de Duccio, Giotto, Simone Martini e de Pietro Lorenzetti, para ter mais ou menos uma idéia de como eu faria isso.

Para o fundo, recorri ao maior invento da modernidade (o velho Google) para achar alguma imagem de uma rua antiga de Jerusalem. A partir de uma foto encontrada de uma viela onde hoje é concentrado o comércio informal, fiz a ambientação da tela. Para destacar a imagem do personagem, o fundo da rua de pedra precisaria estar à meia-luz. Para não ficar uma cena muito repetitiva, considerei que seria melhor colocar um pedacinho de céu no canto superior, até mesmo para quebrar um pouco do padrão. O anoitecer, com o brilho mais forte de uma estrela, rodeada por algumas outras de brilho menos intenso, muda um pouco o clima da pintura e também, justifica um pouco da claridade que entra na rua.

Esta não é a primeira vez que faço o rosto de Jesus. Já fiz em "Santo Sudário", que retrata o suposto manto que cobriu Jesus, e o fiz também em "Cristo Popstar" (que ainda não figurou por aqui). Mas este aqui precisaria de um algo mais. Para o rosto, escolhi como modelo uma mulher, ou melhor, uma garota. A eleita da vez foi a sobrinha da minha namorada, que posou para mim. Mas afinal, por que uma mulher? Aqui entra uma teoria que eu acho bem plausível: "Todo homem bonito tem traços femininos, assim como toda mulher feia tem traços bem masculinos". Partindo desta lógica, tomei a pose da modelo como base para o desenho. É claro que o desenho acabou saindo mais feminino do que deveria (praticamente saiu uma mulher barbada), problema este que foi corrigido no momento de passar para a tela. Este Jesus da pintura é, na verdade, o resultado de uma enorme gama de referências. Para os olhos, tomei como modelo os olhos de Chico Buarque da capa do primeiro disco do cantor ("Chico Buarque de Hollanda", de 1966). Até pensei na possibilidade de fazer Jesus saindo das sombras do beco com o rosto parcialmente iluminado tomando como referência as pinturas de Rembrandt, mas acabei deixando para lá... achei que ficaria mais interessante deixá-lo bem iluminado!
Yeshua - esboço

O caimento do tecido no corpo também foi um problema. Busquei alguma pose parecida no trabalho de outros artistas que usavam muito deste recurso como Leonardo Da Vinci, por exemplo, mas não encontrei nada. O jeito então foi pegar o primeiro desavisado que estivesse por perto para vestir alguma coisa parecida que pudesse servir de modelo. O resultado ficou bom, ainda que não exatamente do jeito que eu estava planejando. Geralmente (comigo pelo menos é assim) eu tenho uma imagem idealizada na minha cabeça que eu tento mais ou menos acompanhar, adequando no que for conveniente. Acontece algumas vezes de corresponder o imaginado, em outras de superar o imaginado e por fim, tem também outras que não correspondem às expectativas... ainda bem que esta última opção tem sido bem difícil de acontecer.

No final, o rosto deste Jesus saiu de acordo com o que eu estava planejando. Os cabelos, apesar de um pouco claros, não são claros demais (acredito que loiro ele não era). O olhar, um cinza-azulado, ficou bem marcante, seguro e penetrante. A auréola dourada que envolve a cabeça chama a atenção do espectador (muito mais presencialmente do que por uma foto), entre dourado, prateado e outras cores metálicas. Apesar de me basear num texto supostamente histórico para criar o retrato de Jesus, ninguém pode saber se sua aparência era realmente assim. Cada artista que retratou Jesus através dos tempos, o fez tomando como guia suas próprias crenças e, mesmo sem nada comprovado de como era o rosto do Cristo, as imagens acabaram entrando parcialmente num consenso sobre sua fisionomia.

Créditos das imagens: Google


Licença Creative Commons

12 comentários:

  1. Que pesquisa, hein Edu! Muito boa. Já lí também
    que edificilmente Jesus seria branco e de olhos azuis, já que ele era de uma região onde predominavam as pessoas de pele escura, cabelos encaracolados e olhos negros, nunca saberemos ao certo, não é? Há quem diga que essa aparência
    dada a ele, foi fruto da imaginação e de uma postura elitista da igreja católica, são tantas histórias. Mas o fato é que em se tratando dos dias atuais, esse teu trabalho está muito bom!
    PARABÉNS!!!
    Quero aproveitar essa oportunidade pra desejar-te BOAS FESTAS e um 2012 cheio de alegriar e realizações pessoais e profissionais!

    um grande beijo

    ResponderExcluir
  2. Jesus...Natal... é tempo disso. Cada vez estou mais longe destes natais que o Homem/Economia/Consumista, arquitectou.

    Beijo


    BIA

    ResponderExcluir
  3. Ups, Edu...isto nada tem a ver com o trabalho do artista. A arte está a milhas, a anos de luz à frente de tudo isto!

    ResponderExcluir
  4. Agradeço a sua gentil visita. Belo trabalho o seu. Talvez um dos seus trabalhos venha a ser capa de um dos meus livros que tenho para editar, ainda na gaveta, pois os tempo, por cá estão maus para gastos, já que optei por edição de autor. Um Natal pleno de Saúde e Alegria!

    ResponderExcluir
  5. Cirandeira: Viu aí a trabalheira!? Algumas coisas coincidiram pra facilitar essa pesquisa. Uma das coisas é um DVD que eu tenho produzido pela BBC e que trata justamente da parte histórica de Jesus. Eles até fazem um retrato tomando como base a média da população local. Teve tempos que eu acreditava nessa mesma coisa que você disse (de que as imagens de Jesus elitizaram sua fisionomia), mas hoje em dia eu não sei... quem garante que aqueles soldados romanos todos por lá não acabaram se misturaram com a população e gerando alguns descendentes? É um assunto bem complexo. Feliz natal pra você também, minha cara... e boas festas!

    Bia: Olá, minha cara! Realmente, o natal se tornou uma data muito mais comercial do que religiosa. Mas depende como encaramos tudo isso. Feliz natal e obrigado pelas palavras!

    José: E aí, poeta! Quando quiser, é só falar! Vai ser uma honra! Bom natal pra você também!

    ResponderExcluir
  6. Beleza de estudo, amigo!
    Voltarei sempre aqui para beber tanta sabedoria, mas uma coisa te digo:
    O Mestre Jesus está mesmo satisfeito de tê-lo como Filho, pode crer!
    2012 de Luz, Edu!!!

    ResponderExcluir
  7. Edu, vim retribuir-te a visita e desejar para ti
    a para tua família um 2012 pleno de alegrias e realizações!

    um beijão

    ResponderExcluir
  8. Agradeço e retribuo os votos de Feliz Ano 2012!

    Para si e sua família os meus desejos Universais de Amor, Paz e Saúde.

    Beijos Edu agradeço a sua constante presença no meu recanto virtual!

    ResponderExcluir
  9. Carissississsissíssimo MalCriado!
    Meu amigo, que 2012 seja totalmente excelente pra você & família! Que sonhos se realizem!
    Saúde, paz, amor e sucesso.
    E que possamos aproveitar bastante, já que talvez 2012 seja o último ano... rsrsrsrsrs
    Abração!
    ML

    ResponderExcluir
  10. Trabalho perfeito de Jesus Cristo, nosso Salvador e redentor do mundo!! Obra prima. Arte pura.
    Se o homem não esboçasse tanta ganância, poder econômico, consumismo e egoísmo. E prostar-se diante d'Ele o mundo seria bem melhor.

    Fantástica obra!!!
    Parabéns

    ResponderExcluir
  11. O interessante que Júnior ressalta todo um contexto histórico envolvendo toda a arte de um passado, voltado para os dias contemporâneo.

    Isso é incrível!!!

    ResponderExcluir
  12. Esse último trecho ai refere-se as características verdadeiras do Cristo que são derivadas de acordo com a crença.

    Os alemães por exemplo, ressaltam Jesus loiro de olhos claros. Justamente por conta de suas fisionomias locais, e características morfológicas aceitas.

    ResponderExcluir

Seu comentário será sempre bem-vindo. Assim que for possível, eu retorno!