terça-feira, 5 de abril de 2011

- O tempo -

Desenho à bico de pena - Tamanho A5 - 2010

Para ampliar, clique na imagem

Acho que todo mundo passa por uma fase na sua vida em que fica escrevendo um monte de coisas, sejam elas cartas para si próprio, poesias, versos, desabafos ou qualquer outra denominação do tipo para sua produção. E comigo não foi diferente... quilos de papel foram riscados com os mais diversos temas e hoje envelhecem esquecidos em pastas, envelopes e caixas, esperando que por algum acaso sejam relidos ou lidos por alguém. Não são nenhuma maravilha, reconheço, mas um ou outro tem o seu charme próprio.


Um belo dia, há muito tempo atrás enquanto revia alguns destes escritos, tive a idéia de separar os melhores para uma revisão e depois disso, fazer uma ilustração para cada escrito... dependendo, até mesmo complementando o que o texto não conseguia expressar muito bem. E neste momento surgiu a idéia de "Isto!", um livro de poesias e ilustrações, que por enquanto está no forno esperando para ser lançado como se deve.

E como uma pequena amostra, segue o texto que acompanha a ilustração de hoje, feita em nanquim à bico de pena, entre hachuras e pontilismo e que tenta complementar o que o texto diz.

O Tempo


Hoje eu não quero mais acabar
Eu não vou ficar pra trás.
Eu vou esticar e esticar e esticar
Tudo o que acaba rápido demais.
Eu quero tudo mais duradouro
A vida, a comida, a pasta de dente
Eu quero intenso e quente
Assim, sem acabar de repente
E tudo isso que frustra a gente
Quando vemos que está no fim
O sorriso, os bons momentos,
Quase tudo chega ao fim.
Pilha que não acaba
Família que não morre
Amor que se renova
Amigos que não somem
Eu quero mais tempo
Mais um pouco, mais uma volta,
Dias maiores, alegrias mais longas
E férias pro relógio que discorda
Não quero nada que atrapalhe
Nem distância, nem idade…
Já cansei de ficar envelhecendo!
Chega de prazo de validade
O problema é o infinito…
Quem pode dizer que existe?
Como ultrapassar o limite?
E assim o tempo persiste

Licença Creative Commons
O Tempo de Eduardo Cambuí Junior é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a criação de obras derivativas 3.0 Unported.

7 comentários:

  1. meu malcriado amigo...
    parabéns pelo texto e pela ilustração... em minha idade, o tempo começa a ser meu antagonista... os desejos expressados em suas palavras, são meus também... uma ótima semana e...
    beijos em teu malcriado coração...

    ResponderExcluir
  2. Imagino que a obra seja maior que o artista, principalmente por essa poesia linda sobre o tempo. Simplesmente linda!!! Continue escrevendo sempre.

    ResponderExcluir
  3. Oi pessoa!
    Paz e bem!
    Encontrei seu "recanto" por acaso, pesquisando umas fotos da praça e da Igreja de Macaúbas e, apesar de apressada, não pude deixar de parar por alguns segundo, para desfrutar um pouco de suas artes e palavras.
    Fiquei encantada.

    Parabéns!
    Perdoe-me o exibimento, mas já estou te seguindo no blog, certo...

    ResponderExcluir
  4. Respondendo:

    Beto: E aí, meu caro! Obrigado pelas palavras! Realmente, o tempo é implacável com todos... mas faz parte da vida também!

    Webert: Obrigado pela visita e pelas palavras!

    Mindy: Seja bem vinda!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Webert: É sim! Feito com tinta nanquim à bico de pena.

    ResponderExcluir

Seu comentário será sempre bem-vindo. Assim que for possível, eu retorno!